home sugira um site livro de visitas cadastro
Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia - UFRJ prossiga

Artigos e Outros Textos - Antropologia   Brasileiros



Alagoas Indígena
http://geocities.yahoo.com.br/esp_cultural_indigena/home_1.htm
Espaço de divulgação sobre as populações indígenas localizadas no Estado de Alagoas, no Nordeste brasileiro. Alagoas possui oito etnias indígenas, distribuídas em 11 comunidades com cerca de 8.000 mil índios. Essas etnias são as seguintes: Xucuru-Kariri, Karapotó, Wassu, Tingui-Botó, Geripankó e os Kariri-Xocó, além dos índios Kalancó e os Karuazu, que ainda não foram reconhecidos oficialmente. O site apresenta textos, fotos e sons relacionados à temática indígena e disponibiliza para download algumas obras consideradas clássicas das ciências sociais e da literatura.
Contato: alagoasindigena@na-web.net
Área: Antropologia

CAVALCANTI, Maria Laura Viveiros de Castro. Os sentidos no espetáculo. Revista de Antropologia, São Paulo, vol.45 no.1, 2002..
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-77012002000100002&lng=en&nrm=iso&tlng=pt
A autora é professora do Programa de Pós-graduação em Sociologia e Antropologia - PPGSA - do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais - IFCS - da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ. No artigo ela propõe a análise cultural da natureza espetacular de dois festivais populares contemporâneos: o desfile das escolas de samba no carnaval carioca e os Bois-Bumbás de Parintins, Amazonas.
Contato: revant@edu.usp.br
Área: Antropologia

COSTA, V. F. Reflexões a respeito da anulação do "outro". Capturado em 13 de março de 2003.
http://www.viegasdacosta.hpg.ig.com.br/artigooutro.htm
O autor é historiador e professor. Neste artigo ele discute como os atentados ao World Trade Center e ao Pentágono afetaram nossa maneira de ver as diferenças, de perceber o outro. E conclui que desde que nos desfaçamos de nossos preconceitos e comecemos a dialogar com o Oriente rumaremos em direção à convivência e ao respeito.
Contato: viegasfc@terra.com.br
Área: Antropologia

DINIZ, Débora. O que é isso que chamamos de antropologia da saúde? Revista Múltipla. União Pioneira de Integração Social - Faculdades Integradas - UPIS, Brasília, n. 2, 1997.
http://www.upis.br/revista_multipla/nr_002/ddiniz.htm
A autora é mestre em Antropologia e professora da União Pioneira de Integração Social - UPIS. O artigo, em texto completo, analisa quais as características da disciplina Antropologia da Saúde, especialmente nas últimas duas décadas. Para o recorte etnográfico, levou-se em conta tanto os centros mais atuantes em Antropologia da Saúde quanto seus pesquisadores mais representativos. A análise demonstrou que há uma preferência entre os antropólogos pelo levantamento das representações sociais relativas à saúde e à doença.
Área: Antropologia

GIOVANETTI NETTO, Evaristo. A esquerda e os impasses da transição para a democracia no pós-guerra: 1945 - 1946. Revista Sociologia e Política, Curitiba (PR), n. 6-7 / jun.-nov. 1996. ISSN 0104-4478 (versão impressa). Capturado em 18 de fevereiro de 2003.
http://www.revistasociologiaepolitica.org.br/revista67/index.html#A ESQUERDA E OS IMPASSES DA TRANSIÇÃO PARA A DEMOCRACIA NO PÓS-GUERRA (1945-1946)
Apenas o resumo do artigo está disponível. Para acessar o artigo completo acessar o SciELO. Nele, o autor visa revisitar e analisar criticamente o quadro político do pós-guerra, contrapondo o projeto democratizante varguista em que se insere o PCB ao projeto elitista e excludente proposto pelos liberais opositores do "Estado Novo".
Contato: contato@revistasociologiaepolitica.org.br
Área: Antropologia

JAPIASSU, Hilton Ferreira. O mal-estar nas Ciências Humanas. [on-line]. Acesso em: 12 de mar. de 2002.
http://www.editoraeletronica.net/autor/069/06900200.htm
O autor é professor associado nos cursos de graduação e pós-graduação do Departamento de Filosofia da PUC-RJ, e pós-doutor em Filosofia pela Université des Sciences Humaines de Strasbourg, França. Discute, neste artigo, a cientificidade das ciências humanas e sociais e as fronteiras das várias disciplinas que essas áreas abrangem. A editora disponibiliza busca por obra.
Contato: sugestao@editoraeletronica.net
Área: Antropologia

MENDONÇA, João Martinho. Fragmentos dos diários escrito e fotográfico de Cardoso de Oliveira na região dos Ticuna do Rio Alto Solimões. Dissertação. Revista Studium, Campinas, n. 6, inverno 2001. Capturado em 26 de maio de 2003.
http://www.studium.iar.unicamp.br/seis/2.htm
Parte da dissertação de mestrado defendida no departamento de Multimeios do Instituto de Artes da Universidade de Campinas - Unicamp -. O autor procurou revelar a importância histórica e antropológica do acervo fotográfico de Roberto Cardoso de Oliveira, etnólogo que iniciou suas pesquisas nos anos cinqüenta com os índios Terena do Mato Grosso e com os índios Tukuna do Rio Alto Solimões, passando posteriormente a se dedicar à vida acadêmica como professor, sendo hoje amplamente reconhecido por sua produção intelectual no campo da hermenêutica.
Contato: tacca@unicamp.br
Área: Antropologia

NOGUEIRA, Isildinha B. O Corpo da Mulher Negra. Antroposmoderno. Artigo capturado em 28 de Agosto de 2002.
http://www.antroposmoderno.com/antro-articulo.php?id_articulo=133
Artigo disponibilizado em agosto de 2002 pelo Antroposmoderno, um site dedicado à difusão de textos relacionados com a temática psicoanalítica, antropológica, entre outras. Segundo a autora, falar sobre o corpo da mulher negra implica, a priori, pensarmos o corpo enquanto signo, como um ente que reproduz uma estrutura social de forma a dar-lhe um sentido particular, que certamente irá variar de acordo com os mais diferentes sistemas sociais.
Contato: redaccion@antroposmoderno.com
Área: Antropologia

PENTEADO, Juliano Cortez Toledo. Sociologia da Arte e Estética da Religião: Manifesto Sine Ira et Studio. Capturado em 18 de fevereiro de 2003.
http://www.direito.curvedspaces.com/Artigos/Arte.htm
No artigo o autor defende que a arte é uma extensão, pelo sentimento, da sociedade a todos os seres da natureza. A emoção artística é essencialmente social; tem por resultado alargar a vida individual fazendo-a confundir-se com uma vida mais ampla e universal. O fim mais elevado da arte é produzir uma emoção estética de caráter social.
Área: Antropologia

ROSA, João Maurício da. No asilo das Madalenas. Jornal da Unicamp, Campinas, fev. 2002. Capturado em 3 de Julho de 2002.
http://www.unicamp.br/unicamp/unicamp_hoje/ju/fev2002/unihoje_ju170pag09.html
O artigo mostra como, entre 1910 e 1940, o comportamento sexual da mulher, particularmente das prostitutas, era demonizado, preconceito que acabou interferindo no próprio espaço urbano, por conta das decisões governamentais de zoneamento das prostitutas.
Contato: jmauricio@reitoria.unicamp.br
Área: Antropologia

SAMAIN, Etienne. "Memórias antropológicas" em torno de um álbum fotográfico: Fotografia, morte e história. Revista Studium, Campinas, n. 6, inverno 2001. Capturado em 26 de maio de 2003.
http://www.studium.iar.unicamp.br/seis/4.htm
O autor é professor do Programa de Pós-Graduação em Multimeios e Coordenador Científico do Centro de Memória - CMU -, ambos da Universidade de Campinas - Unicamp -. O artigo aborda a fotografia na perspectiva proposta por Roland Barthes como terreno de um saber e de uma cultura que se pode compreender, desvendar e enunciar nos moldes da ciência e, por outro lado, como algo que se oferece ao afeto, como um silêncio que fascina e perturba ao mesmo tempo.
Contato: tacca@unicamp.br
Área: Antropologia

SCHVARZMAN, Sheila. As utopias de Humberto Mauro. Revista Studium, Campinas, n. 6, inverno 2001. Capturado em 26 de maio de 2003.
http://www.studium.iar.unicamp.br/seis/3.htm
A autora é doutora em História Social pela Universidade de Campinas - Unicamp - e Professora visitante do Curso de Pós Graduação do departamento de Multimeios do IA desta mesma Universidade. O artigo enfoca os 100 anos de existência do cinema brasileiro discutindo especialmente a obra de Humberto Mauro.
Contato: tacca@unicamp.br
Área: Antropologia

SIMSON, Olga Rodrigues de Moraes von. Era assim a folia de Momo. Revista Studium, Campinas, n. 6, inverno 2001. Capturado em 26 de maio de 2003.
http://www.studium.iar.unicamp.br/seis/1.htm
Textos da professora de Sociologia na Universidade de Campinas - Unicamp -, com doutorado na Universidade de São Paulo - USP - sobre as raízes socioculturais do carnaval paulistano. Os presentes textos consistem na realidade em três: carnaval veneziano, folião carnavalesco e breque da esperança. Neles a autora discute as origens das festas carnavalescas no Brasil.
Contato: tacca@unicamp.br
Área: Antropologia


Topo